Monitoramento

O monitoramento hidrometeorológico trata do acompanhamento dos ramos do ciclo da água na superfície e na atmosfera. O gerenciamento desses dados inclui ações de coleta, tratamento, armazenamento, recuperação e disponibilização de informações históricas acerca das condições atmosféricas e vazão de rios. O processo é realizado por uma rede de estações hidrométricas, divididas em estações pluviométricas e fluviométricas, além de estações meteorológicas.

Esse monitoramento constitui uma das etapas fundamentais para a elaboração de planos de recursos hídricos, enquadramento dos corpos d’água, outorga dos direitos de uso da água, cobrança pelos usos, dentre outros instrumentos da Política Estadual de Recursos Hídricos.

Atualmente, o órgão responsável pelo monitoramento é o Instituto Estadual do Ambiente (INEA). O processo reúne informações quantitativas e qualitativas.

O monitoramento quantitativo das bacias hidrográficas inclui o acompanhamento e registro da quantidade de chuva, dos níveis de águas dos rios, da radiação solar, da temperatura, da umidade, dos ventos, entre outros parâmetros. Este controle deve ser contínuo, pois é de extrema importância para os órgãos gestores de recursos hídricos, tanto na prevenção e controle de inundações quanto na avaliação da disponibilidade de água na região. Clique aqui para saber mais.

Já o monitoramento de qualidade é um importante instrumento de gestão ambiental e consiste em analisar as condições das águas, o sedimento e a biota distribuídos em rios, baías, lagoas e reservatórios do Estado. O acompanhamento fornece informações necessárias para o manejo adequado desses ecossistemas aquáticos, possibilitando melhor compreensão do ambiente e eficaz alocação de investimentos e ações. Este levantamento é destinado à comunidade científica, ao público em geral e, principalmente, às diversas instâncias decisórias. Clique aqui e saiba como é feito esse monitoramento e acompanhe os boletins de qualidade das águas aqui.

Além do INEA, a Agência Nacional de Águas (ANA) também disponibiliza dados hidrometeorológicos de todo o país no Portal HidroWeb.

Situação dos reservatórios

O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste em realizar o acompanhamento dos seus níveis de água e das vazões afluentes e efluentes aos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre a sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos.

A Associação Pró-Gestão das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (AGEVAP) realizou estudos que contemplam a situação e operação dos reservatórios da Região Hidrográfica II, disponíveis para consulta nos links abaixo:

Relatório Técnico – Bacia do Rio Paraíba do Sul – Subsídios às ações de melhoria da Gestão 2011
Relatório Técnico sobre a situação dos Reservatórios com subsídios às ações de melhoria da Gestão na Bacia do Rio Paraíba do Sul 2010

A Agência Nacional de Águas (ANA) divulga mensalmente, por meio da Superintendência de Usos Múltiplos (SUM), sete boletins de monitoramento referentes aos reservatórios do rio São Francisco, do Nordeste, do Sistema Hidráulico do rio Paraíba do Sul, do Sistema Cantareira, Furnas, Alto Paraguai e do rio Doce. A ANA também prepara o Boletim de Monitoramento da Amazônia.

Já o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) divulga o acompanhamento diário da Situação dos Reservatórios. Os boletins da ANA e os relatórios emitidos pelo ONS podem ser acessados em:

ANA – Boletins de Monitoramento
Relatórios do ONS

Desde 2016, está disponível ao público o Sistema de Informações Geográficas e Geoambientais das Bacias Hidrográficas dos Rios Guandu, da Guarda e Guandu-Mirim (SIGA-GUANDU), que visa a auxiliar a tomada de decisão no processo de gestão das bacias hidrográficas. Por meio de um conjunto de soluções que subsidiem o monitoramento e o acompanhamento dos dados das estações hidrológicas e meteorológicas, facilitem a criação e atualização de dados sobre as bacias hidrográficas dos rios Guandu, da Guarda e Guandu-Mirim e, também, possibilite a divulgação de informações sobre a situação qualitativa e quantitativa dos recursos hídricos, o SIGA-GUANDU serve como base para a descentralização da obtenção e produção de dados, para garantir a sociedade o acesso à informação e, principalmente, para possibilitar a coordenação unificada da bacia hidrográfica.

Um dos resultados desse projeto é a Sala de Situação. Nela, é possível acompanhar a vazão e o nível dos reservatórios da bacia do rio Paraíba do Sul e da bacia dos rios Guandu, da Guarda e Guandu-Mirim. Estas informações são atualizadas diariamente, de modo automático, na medida em que os dados são publicados pela Agência Nacional de Águas (ANA). Estão disponíveis nesta área, também, os relatórios diários, semanais e mensais dos reservatórios, um link para acessar outros dados de telemetria no site da ANA, informações de previsão do tempo para cada município da bacia e outros links importantes.