“Se existe uma palavra que reflete nosso 2022 é propósito.  2022 foi um ano especial para o Comitê Guandu-RJ. De muitos avanços, muitas realizações, trabalho e retomada após um período doloroso de pandemia. Estamos colhendo os frutos de nossa maturidade e união enquanto Comitê, que está na vanguarda do estado do Rio de Janeiro”.

A declaração da diretora-geral do Comitê e engenheira ambiental especialista em recursos hídricos da Companhia Estadual de Águas e Esgoto (CEDAE), Mayná Coutinho, ganha força diante do retrospecto de todas as ações desenvolvidas pelo Colegiado neste ano, marcado também pelas comemorações das duas décadas do Comitê trabalhando pelo desenvolvimento sustentável de uma das regiões mais importantes do estado do Rio de Janeiro.

Um ano que o Colegiado pôde evidenciar o seu pioneirismo na gestão descentralizada e participativa das águas e também projetar e executar uma série de ações que visa o fortalecimento de programas já realizados, além da implementação de novos projetos nos municípios da sua bacia hidrográfica, como Sanear Guandu, que iniciou em fevereiro de 2022 as suas obras pelo município de Queimados.

O programa prevê soluções para o esgotamento sanitário em 13 municípios do estado, totalizando R$ 80 milhões investidos, e vai impedir o despejo nos rios e afluentes da Bacia Guandu de 10 milhões de litros de esgoto por dia.

“O Comitê Guandu-RJ operacionaliza, hoje, o maior programa de saneamento rural do Brasil. O Sanear Guandu está construindo 25 Estações de Tratamentos de Esgoto e cerca de 7 mil soluções individuais em áreas rurais e periurbanas da Bacia, melhorando a qualidade de vida da população rural e a qualidade do meio ambiente”, disse a diretora geral.

Também em 2022, ganharam ainda mais força as elaborações dos Planos Municipais de Mata Atlântica (PMMA) e dos Programas Municipais de Educação Ambiental (ProMEAs).

Mesmo antes do cessar da pandemia, o Colegiado vinha mantendo contato virtual constante com os representantes municipais para a implantação dos PMMAs e ProMEAs, mas foi com os encontros presencias em 2022 que ambos avançaram ainda mais.

O objetivo é ter um diagnóstico individual de cada município e também construir o Plano Diretor Florestal para a Bacia do Guandu e o Plano de Educação Ambiental da Região Hidrográfica II.

“Progredimos com os PMMAs elaborados pelo Comitê para que os municípios tenham um documento estruturado de conservação e recuperação das florestas, permitindo o planejamento verde com o olhar da região hidrográfica. Avançamos ainda com os ProMEAs, que também estão sendo elaborados pelo Comitê para contribuir com a conscientização ambiental e para a inserção da sociedade na gestão das águas”, comemorou Mayná Coutinho.

Outra inciativa evidenciada é o projeto Observatório de Bacia, uma rede de quase 200 estações de monitoramento qualiquantitativo, providencial para gestão da região hidrográfico. A rede custará cerca de R$ 15 milhões. O colegiado agora irá estudar as formas possíveis (arranjos financeiros, operacionais e institucionais) para sua implementação.

“A partir das informações obtidas, podemos detectar a poluição difusa e poluição pontual, podemos tomar decisões estratégicas e realizar ações sinérgicas com faculdades e centros de pesquisa”, ressaltou.

Aniversário de 20 anos e nova identidade visual

Antes mesmo de completar 20 anos, em 03 de abril de 2020, o Comitê Guandu ganhou uma nova identidade visual, site com intranet e mais projetos voltados às ações de educação ambiental, que evidenciaram a proximidade do Comitê com a comunidade.

Ao colocar em prática a implementação e operacionalização do seu Plano de Comunicação, o Comitê Guandu conseguiu também expandir sua atuação nas redes sociais.

 Foi criado o principal ponto de contato direto com nosso público externo, o Instagram @comiteguandu. Foi nele e nas newsletters internas e externas, além de divulgações constantes na imprensa, que aconteceram as principais publicações de campanhas de conscientização, de realizações, homenagens e eventos, por muitas vezes em tempo real.

PAF e combate a incêndios florestais ganham reforços

Destaque também para os avanços obtidos em 2022 com o programa Produtores de Água e Florestas, que ganhou oficialmente, em agosto, o projeto (Re)floresta, Água e Carbono, patrocinado pela Petrobras Socioambiental.

A iniciativa vem para dar continuidade às ações de restauração florestal aos proprietários rurais de Rio Claro e proporcionar uma vertente socioambiental, com ações voltadas para a educação ambiental, capacitação técnica, fomento à pesquisa e ao desenvolvimento de potencialidades socioeconômicas locais.

Ainda sobre o PAF neste ano, o Pagamento Por Serviços Ambientais (PSA) de mais de R$ 100 mil a produtores do programa na região da sub-bacia do rio Sacra Família foi também motivo de comemoração.

“O PAF do Comitê completou 13 anos. Realizado em Rio Claro, Mendes, Engenheiro Paulo de Frontin e Vassouras, ele já totaliza mais de cinco mil hectares de Mata Atlântica conservados ou recuperados. O programa é uma das primeiras iniciativas no Brasil a utilizar PSA como instrumento de gestão diretamente relacionado à oferta de serviços hidrológicos”, afirmou a diretora-geral do Colegiado.

Dentro da proposta de preservação da Mata Atlântica, o Comitê progrediu neste ano com as ações de prevenção e combate a incêndios florestais. Um dos carros chefes foi a campanha Fiscal das Queimadas, realizada com municípios e organizações parceiras.

“Realizamos o nosso programa de combate a incêndios com treinamentos para as brigadas especializadas e doação de equipamentos fundamentais para esse trabalho tão necessário. Não basta restaurar, temos que cuidar para que nossa floresta fique de pé”, informou a especialista em recursos hídricos. 

Para Mayná, os avanços são frutos do compromisso com planejamento e realização de ações estratégicas e integradas que posicionam o Comitê Guandu-RJ como referência nacional.

“É fundamental exaltar a contribuição, o empenho e a bravura dos membros do nosso Comitê Guandu. Não há dúvidas de que é o que vai nos levar a um futuro muito melhor. Cada um dos nossos membros coloca rios de conhecimento e a sua total dedicação nesse montante de realizações para a tão sonhada e almejada segurança hídrica. Exemplos concretos de dedicação e cidadania em prol de um bem maior: a defesa apaixonada de nossas águas. Não iremos parar”, afirmou a diretora.

Educação ambiental intensificada em 2022

É dialogando e apostando na participação dos diferentes setores representados por seus membros, que o Comitê quer seguir fazendo a diferença na luta por água limpa e abundante para todos. Envolver as novas gerações também nesta missão ganhou ainda mais sentido, em 2022, com os projetos de educação ambiental “Amigos do Guandu” e “Cine Guandu”.

O “Amigos do Guandu” voltado aos alunos da Educação Infantil e anos inicias do Fundamental foi iniciado em 07 de novembro deste ano, realizando a exibição de vídeos de educação ambiental, apresentados pelo mascote do projeto o “Dudu”, além de peça teatral e visitas guiadas além de outras ações como a confecção de cartas escritas pelos estudantes e histórias que vão virar um livro em 2023.

Com apoio da CEDAE e da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), o projeto piloto atendeu 98 crianças da Escola Municipal Professora Creuza de Paula Bastos, com apoio da Prefeitura de Seropédica, e outros 80 alunos da Escola SESI Nova Iguaçu.

Já o “Cine Guandu”, lançado o edital em 22 de agosto deste ano, é um concurso ambiental e cultural voltado a estudantes dos ensinos médio e/ou técnico, além de superior de instituições públicas e privadas.

Até o próximo dia 13 de janeiro, eles podem fazer, gratuitamente, as inscrições de vídeos com temas específicos relacionados à importância da preservação e qualidade dos recursos hídricos. Os ganhadores recebem troféus e medalhas, além de notebook, tabletes e celulares. Para saber todos os detalhes da disputa, basta acessar o site do Colegiado ou o edital publicado no site da Associação Pró-Gestão das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (AGEVAP).

Participação constante em debates pela água

Neste ano, o Comitê também esteve presentes em vários encontros importantes que reuniram os principais na discussão sobre água não só no Brasil, que é a discussão que o Comitê Guandu toma para si. Um dos eventos foi o Seminário Estadual de Saneamento e Meio Ambiente (SaneaRio), em abril, que destacou os 20 anos do Comitê Guandu. 

O Colegiado também esteve representado no ENCOB 2022, o maior evento de águas do Brasil, em Foz do Iguaçu/PR; na Conferência Mundial do Clima, promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU), no Egito; na Arena de Diálogos da Glocal Experience; no Encontro de Comitês de Bacias Hidrográficas do Rio de Janeiro (ECOB); no Fórum Global de Inovação e Tecnologia em Sustentabilidade (FITS); e no Sanea Tech Rio 2022, evento voltado para a discussão sobre inovações e tecnologias para o saneamento básico do Rio de Janeiro.

“Também estivemos em Portugal, onde assinamos o Acordo de Cooperação Técnica com a Águas de Portugal para troca de experiências e de práticas ambientais. O objetivo é ampliar o olhar do Comitê Guandu dentro de ações que impactam os recursos hídricos, a fim de capacitar o colegiado para que seus membros possam discutir e se posicionar sobre políticas públicas dentro de novos parâmetros a serem atingidos, como, por exemplo, a regulamentação de reuso de água e os desafios da matriz energética, bem como os mecanismos de operacionalização”, salientou Mayná.

Ainda segundo a engenheira ambiental, todas essas ações atuam sinergicamente para a garantia de água abundante e de qualidade para todos.

“Nossa bandeira é a defesa da água em nosso Estado e em nosso país. Levamos a bandeira azul para todas as discussões de políticas públicas, reuniões, eventos. Onde quer que exista uma pauta que impacte nas águas, o Comitê Guandu-RJ lá estará. Todas essas realizações foram atingidas a partir de um debate amplo com a sociedade. As discussões sobre as necessidades sociais vêm garantindo ações técnicas com engajamento de todos e motivadas pelas necessidades de todos”, finalizou a diretora-geral do Comitê Guandu.